Estamos acostumados a ver histórias de empreendedores com ideias mega inovadoras e que dão certo depois de muito esforço e sacadas geniais saídas de uma pequena garagem num bairro de classe média, e na maior parte das vezes, fora do Brasil. Na nossa história que contaremos para você hoje, não falamos de nada inovador como um sistema operacional, mas sim de um empreendedor que não só esteve no lugar certo, na hora certa, mas também criou a oportunidade com base numa percepção de necessidade de um público em ascensão.

Estamos falando de Sergio Zimerman, dono da maior pet store do Brasil, a Petz. Se você tem um animalzinho de estimação, pretende ter ou conhece alguém que possua um, com certeza já visitou, passou próximo ou simplesmente foi impactado por alguma publicidade da loja que antes era conhecida como “Pet Center Marginal”.

O sonho começou quando Zimerman ainda era criança. Sergio queria construir, seu sonho era ser técnico de edificações, mal sabia ele que construiria um império dentro de um segmento totalmente diferente do de engenharia. Ele nunca gostou de trabalhar para alguém, não se sentia confortável em estar respondendo à alguma empresa, tanto que muito jovem, Sergio se juntou a esposa e investiu em animação de festas infantis. A alta competividade do mercado e o cenário econômico em crise no país levou o negócio a fechar as portas. Sergio teve que buscar alçar outros voos. Foi então que o mesmo teve a ideia de empreender no mercado de bebidas. Ele abriu uma adega e logo o sucesso veio: uma grande loja de atacado e mais de 600 funcionários. Mas novamente as dificuldades financeiras do negócio o atingiram e o negócio veio à falência.

Desiludido, mas com esperanças, Sergio resolveu cursar a faculdade de administração em São Paulo e durante o curso o mesmo teve mais um estalo empreendedor e criativo. Abrir um pet shop. Parecia arriscado? Claro, mas depois de muitas caminhadas pela cidade e conversas com colegas, Sergio identificou uma necessidade crucial para que o novo investimento vingasse: o mercado estava carente. Juntando sua experiência na faculdade, sua veia empreendedora e criatividade, ele inaugurou o famoso “Pet Center Marginal” em São Paulo e em poucos anos, a rede de lojas foi expandindo e sendo conhecida como “Pets” pela clientela.

Visando uma exposição e maior familiaridade do público, ele mudou o nome da loja para “Petz” que hoje conta com mais de 68 lojas espalhadas por diversas cidades do país e tem um faturamento superior a R$ 500 milhões em 2017. O segredo de todo esse sucesso? Investimento em pessoas. A Petz conta com um time com mais de 2.600 funcionários contratados, bem treinados e apaixonados por pets.

Mas o preço é o mais baixo do mercado? Não. Zimermam explica que a Petz se diferencia por ser uma loja integrada à veterinário, logo, o cliente pode encontrar do biscoito à casinha do seu bichinho e ainda por cima fazer uma consulta com veterinário e passar por banho e tosa.

“O preço da ração, da Petz e da concorrência, será o mesmo, não tenho intenção de entrar numa disputa mais agressiva de preço”. Por outro lado, oferecemos vários serviços, de banhos a veterinários, com preços justos e alta qualidade”. – afirma Zimermam.

Pet shop: um negócio animal!

Para você que é um empreendedor e está pensando em investir na área é importante saber que a mina de ouro ainda existe, mas é claro que é necessário inovação para se diferenciar nesse já importante mercado no Brasil. Oferta de hóteis, canis e dogwalker estão super em alta. Segundo o SEBRAE, o mercado Pet cresce 7,5% por ano e movimentará mais de 20 bilhões de reais por ano até 2020. Porém, fique atento! Ao investir em um novo negócio na área, cuide de cada pequena burocracia e proteja seu negócio com quem realmente entende os riscos que um estabelecimento desse tipo enfrenta.

Gostou? Compartilhe com seus amigos e assine nossa newsletter para se manter imerso a esse mercado!